Syn – deuses nórdicos

“A Defensora”

Em Fensalir, o palácio celeste de Frigga, Syn é a guardiã das entradas e nega passagem àqueles que não tem permissão ou merecimento para entrar. Syn, portanto, é considerada a protetora das fronteiras e a defensora dos limites. Seu nome significa “negação” e ela é chamada nas assembleias e nos conselhos para defender aqueles que deveriam negar pedidos ou colocar limites. É uma deusa justa, que tudo vê e sabe – por isso os povos nórdicos pediam sua presença nas disputas judiciais para assegurar o triunfo da justiça e o cumprimento dos juramentos e das promessas. Na atualidade, pode-se invocá-la para defender as portas e fechaduras, sejam as físicas – de casa, do local de trabalho ou do carro -, sejam as fronteiras do espaço pessoal, psíquico ou astral.  Ela dá o poder necessário para conhecer e expressar a verdade de cada um e concede a força de dizer “não” a tudo o que possa enfraquecer ou prejudicar. Syn fortalece e protege, por isso deve-se sempre pedir sua proteção para a casa, para o altar ou espaço sagrado, ou para a criação de escudos e egrégoras de proteção psíquica. Ela se apresenta como uma mulher séria, vestida com uma túnica violeta e com uma tiara nos cabelos; nas mãos, um bastão inscrito com runas, uma chave, um escudo ou uma vassoura de galhos de bétula e sinos. Esses símbolos podem ser colocados atrás das portas de casa, na entrada do espaço sagrado ou círculo mágico, pedindo sempre a proteção de Syn e visualizando sua presença como um escudo protetor.

Você pode ler mais sobre a Mitologia Nórdica neste link.