Rind (Rindr) – deuses nórdicos

“A Deusa da Terra Congelada”

Rind é descrita nas lendas escandinavas como uma linda princesa russa, a quem tinham profetizado a concepção de um filho que, ao se tornar herói, vingaria a morte do deus solar Baldur. Porém, Rind recusa-se a se casar, demonstrando uma glacial indiferença a todos os seus pretendentes. O deus Odin tentou seduzi-la assumindo, primeiro a figura de um soldado, depois, de um hábil artesão, capaz de fazer lindas jóias e, por fim, a de um cavalheiro, mas Rind continuava recusando seus avanços. Finalmente, Odin se metamorfoseou em uma jovem curandeira, que foi aceita como a camareira da princesa quando esta adoeceu (segundo consta, em razão de um feitiço maligno feito pelo próprio Odin). Ao curá-la, Odin revelou quem era e conseguiu, finalmente, derreter o coração congelado da princesa, tornando-a mãe do seu filho Vali, o vingador da morte de Baldur, concedendo-lhe também a condição de Deusa. Essa lenda é a adaptação cristã de um antigo mito da terra congelada pelo rigores do inverno, personificada por uma giganta, que resistia ao abraço caloroso do Sol, semelhante à história da deusa Gerda. Possivelmente o mito era o mesmo, diferindo apenas os nomes, conforme a localização geográfica dos cultos. Outras fontes descrevem Rind como uma deusa solar, que sai da sua morada cada manhã e só volta ao anoitecer, permanecendo isolada até a manhã seguinte – simbolizando, portanto, tanto a abertura quanto o isolamento, tanto o dia quanto a noite.

Você pode ler mais sobre a Mitologia Nórdica neste link.