Medusa – Mitologia Grega

Na ilha de Sarpedon, observe por onde você perambula – se você não tomar cuidado, poderá se encontrar em um jardim de figuras de pedra. Se você ver a forma de uma bela donzela nas sombras e ouvir o silvo de uma cobra, cuidado! Se você olhar nos olhos da jovem donzela que agora está a apenas alguns passos de distância, você deixará de existir como carne e sangue. Embora sua voz possa ser doce e sua pele clara como a neve, Medusa carrega o peso da ira de Atenas. Faça o que fizer, mantenha os olhos baixos – ou aceite seu destino como a mais nova decoração neste jardim de esculturas solitário.

Quem é Medusa?

Medusa era filha de Phorcys e Ceto (embora algumas fontes afirmem que Gorgon é seu pai). Ela nasceu em uma ilha chamada Sarpedon – que se acredita estar em algum lugar na área geral de Cisthene – e era conhecida por ter sido uma das irmãs Gorgon. No entanto, ao contrário de suas outras irmãs (Sthenno e Euryale), Medusa era uma mortal e, portanto, vulnerável aos perigos do mundo humano. A história da Medusa e da transformação de sua irmã nas temidas Górgonas é trágica e reveladora.

Pintura de medusa
Pintura de medusa

No entanto, seu tempo como uma bela donzela não duraria para sempre. Eventualmente, Medusa era conhecida por ter sido transformada em uma besta que seria temida por todos porque ela foi considerada responsável pela profanação do templo de Atenas. Porque ela se permitiu ser contaminada no templo de Atena, Athena a transformou na mais horrível de todas as Górgonas e fez suas feições tão terríveis de se ver que ela poderia instantaneamente transformar um homem em pedra se ele olhasse para ela diretamente.

Embora Medusa seja conhecida por ser um dos monstros mais famosos da mitologia grega, há relativamente pouco que é registrado de sua existência antes de ser decapitada por Perseu. A maior parte do que sabemos sobre Medusa vem de seu curto período de tempo servindo no templo de Atena e da maneira como sua cabeça foi usada depois que ela foi decapitada por Perseu. Embora sua própria vida não tenha recebido muita consideração nos registros antigos, as muitas coisas que vieram com sua morte iriam impactar a mitologia antiga de inúmeras maneiras.

Como a Medusa foi transformada?

Para entender a transformação da Medusa, é importante primeiro entender de onde ela veio. Sua história é muito importante em termos de contexto para o que ela se tornou e como ela impactou a história.

Família

A família da Medusa é conhecida por seus traços ferozes e poder impressionante. Seu pai, Phorcys, era conhecido por ser um deus do mar primordial que tinha cauda de peixe, antebraços de caranguejo e pele vermelha e pontiaguda. Sua mãe, Ceto, também era uma deusa do mar primordial. Juntos, eles eram conhecidos por terem dado à luz algumas das criaturas mais temíveis da mitologia grega.

Os descendentes de Ceto e Phorcys incluíam Echidna (mãe de todos os monstros), as Górgonas, as Graeae (‘os dedos cinzentos’ – três irmãs mais conhecidas por compartilharem um olho entre si) e Ladon (um dragão que guardava as maçãs douradas no Jardim das Hespérides ).

Medusa era uma das irmãs Górgona, embora ao contrário de Euryale e Stheno ela fosse uma mortal. Existem vários relatos de como Euryale e Stheno se tornaram as temidas Górgonas que vemos na literatura, embora muitas fontes afirmem que as duas irmãs foram transformadas em monstros pelo percebido ‘crime’ de ficar com Medusa em vez de obedecer à decisão de Atenas de puni-la por ser arrebatada em seu templo. Foi depois que as irmãs Górgonas foram injustamente punidas por Atena que sua horrível transformação realmente começou. Sua raiva por terem sido punidos injustamente os fez se voltar contra os mortais do mundo, apesar de tudo – eles iriam matar muitos homens, embora Stheno fosse o mais vingativo dos três.

A época da Medusa como sacerdotisa de Atenas

Embora Medusa fosse conhecida por ser uma jovem donzela desejável, ela decidiu se comprometer com Atenas – a deusa que ela considerava a mais poderosa de todas as que residiam no Monte Olimpo . Sua afeição por Atenas foi correspondida por um tempo. Foi um grande elogio para a Medusa jurar lealdade a Atenas por causa de sua grande beleza – especialmente porque um dos requisitos para ser uma sacerdotisa do templo era permanecer virgem. No entanto, Medusa não serviria como sacerdotisa por muito tempo.

Logo depois que Medusa se tornou uma sacerdotisa de Atenas, ela chamou a atenção de Poseidon . Em parte por causa de sua grande beleza e em parte porque ela estava servindo a sua rival – Atena. Isso apresentou a Poseidon uma oportunidade única – ele seria capaz de perseguir Medusa como um interesse amoroso e afirmar sua superioridade como uma divindade mais poderosa.

Existem várias variações com o que aconteceu a seguir. Algumas versões afirmam que Medusa foi influenciada pelos avanços de Poseidon e desenvolveu sentimentos por ele também. Outros afirmam que ela permaneceu firme em sua devoção a Atenas. Independentemente de qual versão é contada, Medusa decide não deixar o templo de Atenas por causa de sua devoção. É quando Poseidon decide devastar Medusa no templo de Atenas. Medusa fica grávida e fica zangada e confusa.

Medusa apela a Atenas

Depois de ser violada por Poseidon, Medusa fica devastada. Ela não sabe o que fazer – ela planejou dedicar o resto de sua vida a Atenas. Ela apela para sua deusa e pede ajuda para seguir em frente.

Há muitas coisas que precisam ser resolvidas nessa situação. A primeira é que Medusa não é mais virgem – embora ela tenha sido deflorada contra sua vontade. A segunda é que, por ter perdido a virgindade com Poseidon (e agora está grávida dele), ela é tecnicamente sua esposa de acordo com as leis da época. Ela apela a Atenas e pede que a deusa lhe dê sabedoria e conselhos sobre como seguir em frente.

Atena responde com raiva

Atena está furiosa porque seu templo foi profanado – especialmente porque foi profanado por seu rival, Poseidon. Ela não tem nenhuma simpatia pela Medusa. Na verdade, ela coloca toda a culpa pelo incidente na Medusa e decide puni-la, transformando-a em um monstro indesejável.

Medusa sendo punida por Atenas
Medusa sendo punida por Atenas

Existem várias variações da ordem dos eventos que vêm a seguir, mas a conclusão é sempre a mesma. Medusa é transformada em uma besta terrível que tem mãos e asas de bronze. Em algumas variações, seu rosto é desfigurado por uma barba e presas (outras versões não falam dessa desfiguração) e, finalmente, seu cabelo se transforma em um ninho venenoso de cobras.

Suas irmãs (Stheno e Euryale) também são transformadas. A razão para isso varia. Muitas versões afirmam que as irmãs foram transformadas porque defendem a Medusa e minam a vontade de Atenas. Eles são desfigurados de maneira semelhante e voltam para a ilha de Sarpedon. Deste ponto em diante, as irmãs são conhecidas como monstros cruéis que se vingam de qualquer homem que ponha os pés em sua ilha.

Medusa como um Monstro

O caráter de Medusa muda muito depois que Atenas a pune injustamente. Ela tem dificuldade em se reconciliar com sua nova identidade, mas acaba aceitando seu papel e começa a se vingar dos homens, pois essa é uma das únicas maneiras que ela pode tentar se vingar de Poseidon. No entanto, ela também é reclusa e não sai da ilha com frequência.

Agora que ela foi transformada, muitos homens vêm para a ilha – não mais como pretendentes, mas como caçadores procurando decapitá-la. Com o passar dos anos, ela se torna cada vez mais cruel e vingativa.

Perseu é recrutado para caçar Medusa

Existem muitos homens diferentes que tentam – e não conseguem – caçar Medusa, até que Perseu é contratado para trazer de volta sua cabeça ao Rei Polidectes. O rei deseja se casar com a mãe de Perseu, mas Perseu não permite. Como um truque, Polidectes diz a Perseu para trazer-lhe a cabeça da Medusa (que é essencialmente uma missão suicida). Perseu obedece e vai até os deuses para ajudá-lo em sua jornada.

Os deuses lhe dão presentes para ajudá-lo em sua jornada. Ele usa esses dons para ajudá-lo a conquistar a Medusa. De Atenas ele recebe um escudo espelhado. De Hermes ele recebe sandálias aladas. De Hefesto (o deus dos ferreiros e metalúrgicos) ele recebe uma espada. Por último, do Hades ele recebe um elmo de invisibilidade. Usando esses presentes, ele viaja e reúne informações que são vitais para sua busca. Ele então foge para a ilha de Sapharose e decapita Medusa enquanto ela dorme, usando o escudo espelhado de Atena para guiar seus movimentos para que ele não tenha que olhar para Medusa diretamente. Ele tenta escapar da ilha, mas o corpo de Medusa é descoberto por suas irmãs antes que ele possa partir.

Eles vasculham a ilha em busca do assassino de Medusa, mas não conseguem encontrar Perseu por causa dos presentes que foram oferecidos a ele pelos deuses. Ele consegue escapar sem ser visto graças ao seu elmo de invisibilidade. As irmãs estão enfurecidas, mas incapazes de fazer nada além de chorar. Os gritos de Euryale ecoam pela ilha – um ato pelo qual ela se tornou mais famosa na mitologia.

Medusa na Morte

Embora a história de Medusa tenha alguma relevância e simbolismo antes de seu fim trágico, ela provavelmente teve a maior influência em sua morte. Com seu falecimento, ela dá ao mundo contribuições importantes para a mitologia e a medicina, ao mesmo tempo em que oferece ao público uma nova forma de proteção.

Filhos da Medusa vêm para a frente

Assim que Perseu corta a cabeça de Medusa, seus dois filhos nascem. Eles voam para fora de seu pescoço, totalmente crescidos.

O primeiro a surgir é Pégaso – uma das criaturas mais famosas de toda a mitologia. Pegasus era um garanhão alado de puro branco e poderoso por natureza. Após seu nascimento da decapitação da Medusa, ele disse ter ascendido aos céus onde foi saudado por Zeus. Foi então que Pégaso foi instruído a carregar os relâmpagos e raios em nome dos olímpicos. Outro dos poderes de Pegasus é que ele é conhecido por ter sido capaz de fazer fontes e fontes mágicas e inspiradoras surgirem da Terra sempre que ele batia com seus cascos no chão. Este poder é provavelmente habilitado pela linhagem de Pegasus (já que ele é filho de Poseidon).

O segundo a sair do pescoço de Medusa é Chrysaor. Diz-se que ele nasceu com uma espada de ouro na mão e se casou com Callirrhoe e seu pai Geryon. Ele também era conhecido por ter governado como rei da Península Ibérica.

Outro Life Springs Forth

Enquanto Perseu viajava por toda a terra, mudanças significativas começaram a acontecer quando as gotas de sangue da cabeça de Medusa começaram a cair. Enquanto ele sobrevoa a Líbia, cada gota de sangue que cai no chão se transforma em uma víbora venenosa. Por causa disso, a Líbia ainda está cheia de víboras venenosas até hoje.

O sangue de Medusa também é responsável pela criação de Amphisbaena – uma criatura temível que se parecia com um dragão e tinha uma cabeça de cobra na ponta da cauda.

Por último – mas talvez o mais interessante – acredita-se que o sangue da famosa Górgona tenha sido a razão pela qual os corais do Mar Vermelho foram formados. Muitos autores afirmam que os corais foram criados quando gotas de sangue espirraram nas algas marinhas nas águas abaixo.

Cabeça de Medusa é usada para derrotar Atlas

De acordo com a lenda, depois que Perseu decapitou Medusa, ele estava viajando de volta para salvar sua mãe quando encontrou Atlas – o Titã gigante que ergueu o céu. Perseu pediu ao Titã para deixá-lo descansar, mas Atlas recusou e tentou atacá-lo. Perseus sabia que seria incapaz de lutar contra Atlas sozinho, mas com um raciocínio rápido percebe que pode usar a cabeça de Medusa a seu favor. Ele levanta a cabeça para o olhar de Atlas – que é imediatamente transformado em uma montanha. Esta é uma das primeiras ocasiões em que os poderes da Medusa foram usados ​​para mostrar a natureza protetora das Górgonas.

Cabeça de Medusa é usada para derrotar Cetus

Enquanto voava pela Etiópia, Perseu espia a jovem princesa Andrômeda amarrada a uma rocha como um sacrifício para o monstro marinho Cetus. Andrômeda está sendo sacrificada como um castigo para Cassiopeia (sua mãe), que foi tola o suficiente para se gabar de que sua filha era mais bonita do que as Nereidas. Perseus consegue vencer o monstro com a poderosa cabeça de Medusa e salvar Andrômeda (que mais tarde se torna sua esposa).

Cabeça de Medusa é usada para salvar a mãe de Perseu

Quando Perseu finalmente retorna de sua busca, o Rei Polidectes fica surpreso ao ver o jovem herói vivo. Ele planeja matar Perseu para que ele possa se casar com a mãe do jovem herói, mas Perseu é capaz de parar o ataque usando a cabeça de Medusa para transformar Polidectes e seus cúmplices em pedra. Assim, sua mãe é salva pelos poderes protetores da Medusa.

Perseu dá a cabeça da Medusa para Atenas

Depois de todos os problemas que foram causados ​​pela traição de Atena à Medusa, os dois são finalmente reunidos simbolicamente quando Perseu dá a cabeça de Medusa a Atena após ele ter completado sua jornada. Athena então coloca a cabeça em seu escudo – o Aegis.

Atena também faz uso do sangue restante que ainda sai da cabeça decepada de Medusa. É dito que o sangue que saiu do lado esquerdo de sua cabeça tinha o poder de tirar a vida, enquanto o sangue do lado direito de sua cabeça tinha o poder de ressuscitar os mortos. Este poder foi dado a Asclépio, que o usou de acordo.

Também se sabe que duas gotas de seu sangue foram colocadas em um frasco. Similarmente aos poderes acima, uma gota de sangue tinha a cura para qualquer doença ou veneno, enquanto a outra gota de sangue era o poder mais mortal do mundo.

Finalmente, uma mecha de seu cabelo foi cortada e colocada em um frasco. Embora a mecha de cabelo em si não tivesse o poder de petrificar um guerreiro rival, causaria um medo terrível no coração de qualquer um que tivesse a infelicidade de vê-la.

Medusa se torna uma protetora

Enquanto Medusa foi injustamente punida por Atena e forçada a viver o resto de sua vida como um monstro terrível, ela experimentou alguma redenção na morte. Porque sua cabeça foi colocada no escudo de Atenas (o Aegis) e seu sangue foi revelado para conter o poder de vida e morte, a cabeça de Medusa se tornou um símbolo de proteção. Na verdade, sua cabeça inspirou um dos talismãs mais poderosos de sua época – o Gorgoneion.

O Gorgoneion era um amuleto com a cabeça de um Gorgon. Este símbolo foi pensado para manter o mal longe daqueles que invocaram sua proteção, usando-o como um pingente. Era conhecido por mostrar grande poder e até mesmo sugerir linhagem ou proteção divina. Isso é provavelmente devido em parte a Zeus e Atenas, que eram conhecidos por usarem um Gorgoneion.

Interpretação do Mito

Ao longo do tempo, a história da Medusa inspirou muitos grandes pensadores e artistas. A donzela que se tornou um monstro inspirou muitas grandes obras de arte e filosofia – e experimentou um ressurgimento da popularidade nos dias modernos.

Sigmund Freud

Entre as muitas figuras históricas que ficaram fascinadas com a história da Medusa estava Sigmund Freud. Ele se interessou muito pela história da Medusa e pelo que ela pode simbolizar em termos de psicologia dos jovens.

Freud formulou a hipótese de que o mito poderia simbolizar a reação de um menino que, até certo ponto, recusou-se a considerar a ideia da castração como uma possibilidade real. Ele acreditava que ver os órgãos genitais de uma mulher (especialmente os genitais da mãe) em seu estado adulto representaria um verdadeiro terror para os rapazes e pensou que a história da Medusa poderia ter sido criada para simbolizar essa ideia.

Freud comparou a Medusa como uma bela donzela à imagem de uma mãe aos olhos do inocente antes de um menino ter visto os genitais femininos adultos. A versão clássica da Medusa, entretanto, era algo que Freud via como uma síndrome do tipo de Édipo e a decapitação do monstro representava a castração e o medo.

Feministas

As feministas modernas também tomaram uma posição sobre o simbolismo que cerca a Medusa. Muitas feministas acadêmicas tendem a comparar a imagem da Medusa à atitude da sociedade em relação às mulheres poderosas. Eles argumentam que qualquer mulher com poder reconhecível – especialmente poder sobre os homens – é imediatamente criminalizada e transformada em um monstro.

As feministas também gostam de apontar as condições da queda da Medusa no mundo dos monstros como uma criminalização das vítimas de estupro, que também é típica da sociedade moderna.

Niilistas

Curiosamente, a história da Medusa também foi adotada pelos niilistas (aqueles que acreditam que a vida não tem sentido). Eles usam o simbolismo de serem incapazes de olhar nos olhos da Medusa como um símbolo de quantas pessoas navegam no mundo moderno. É seu pensamento que as pessoas mantenham os olhos baixos para evitar o enfrentamento da realidade (Medusa) para que não fiquem paralisadas ao perceber que a vida nada significa.

Um lembrete da hierarquia

Por último, embora certamente não menos importante, muitos vêem a história da Medusa como um lembrete das muitas dinâmicas que entram em jogo quando as forças maiores do mundo (neste caso, os deuses do Monte Olimpo) estão em ação. Embora Medusa fosse uma sacerdotisa devota a Atenas, ela não foi protegida de ser violada por Poseidon e é injustamente punida por uma situação sobre a qual ela não tinha controle. Esta parte da história de Medusa dá uma visão clara da perspectiva dos deuses sobre os mortais – eles são peões sem sentido em um jogo que existia antes de seu nascimento e continuará a durar muito depois de terem partido.

Talvez então, Medusa seja um conto da grande injustiça sofrida por aqueles que não fizeram nada de errado, e a falta de importância dessas injustiças para as grandes potências deste mundo.

Leia mais sobre a Mitologia Grega.